quarta-feira, 20 de novembro de 2013

Evolução do enxame no interior de uma colmeia Top Bar

Nunca um tipo de colmeia me causou tanto entusiasmo como a Top Bar. É o rápido desenvolvimento do enxame; é a velocidade com que as abelhas constroem novos favos a partir do zero; é a docilidade do enxame - para a qual a colmeia parece contribuir em muito grande parte - e, acima de tudo, é a eliminação da necessidade de se adquirir e armazenar alças com cera puxada, durante o Inverno, de substituir ceras, de substituir o arame e reparar quadros, é... é FANTÁSTICO, acreditem!
Em Julho, tive uma visita do Bruno Terêncio, formador em apicultura, e proporcionei-lhe uma visita ao apiário, durante a qual ele tirou as seguintes imagens, que mostram vários dos estádios de desenvolvimento dos favos de uma colmeia Top Bar, à medida que nos vamos aproximando do interior da zona de cria. Vale a pena ver com atenção.


Um dos primeiros favos, com mel.

Primeiro favo com criação, ainda por opercular. 
O favo seguinte, também com criação recém-operculada.

No favo seguinte, podemos ver a postura, muito regular.

Este já pode ser considerado um favo Top Bar maduro típico, em que, no mesmo favo, encontramos criação de obreiras, em várias fazes de desenvolvimento, com alguns alvéolos de zangãos à mistura, e alguma armazenagem de mel e pólen, deixando de apresentar a postura regular dos favos mais novos.

A mesma situação neste favo, mais desenvolvido, ainda.
E um favo do interior da zona de postura, que se aproxima do seu máximo potencial.
 

Uma técnica comum no maneio Top Bar, é a intercalagem de ripas vazias entre outras, já preenchidas.

O interior da Top Bar. Uma vantagem desta colmeia é que, ao abrirmos, evitamos que a luz penetre, simultâneamente, na generalidade dos favos, afectando, apenas, aqueles imediatamente anexos à área aberta.

Um agradecimento ao Bruno, pelas imagens, e pela sua qualidade, que nos permite ficar com uma boa ideia de como evoluem enxame e favos, no interior desta colmeia fantástica.

2 comentários:

  1. Gostei muito, Miguel! Mesmo!
    Vou pensar seriamente em comprar uma colmeia Top Bar!...

    ResponderEliminar
  2. Obrigado pelas amáveis palavras, Violeta! Esta é, na verdade, uma maneira muito agradável de fazer apicultura!
    Bons voos!

    ResponderEliminar